Leonardo Sakamoto realiza palestra na UFMS

Por: Beatriz Camargo – EJ BRAVA


No dia 31 de agosto, o curso de jornalismo da UFMS sediou a palestra ‘Jornalismo nos tempos de cólera: ódio e intolerância nas redes sociais’, do jornalista Leonardo Sakamoto, doutor em ciência política pela USP. É professor no curso de jornalismo na PUC-SP, foi pesquisador visitante do Departamento de Política da New School, em Nova York (2015-2016). Também tem um blog e escreve na editoria de cotidiano da UOL.

Leonardo abordou o poder da internet e a invasão dos fake News, inclusive envolvendo seu nome. Ele foi acusado de ganhar meio milhão de reais, de dinheiro público, para falar bem de partidos políticos ou dizer que os idosos são culpados pelos problemas com a previdência; com tais boatos, foi agredido e hostilizado nas ruas, afirmando, assim, que um boato corre muito mais rápido que desmentir o mesmo.

Em tempos de redes sociais, conseguiu perceber que as pessoas não leem o que respeitam, e não respeitam o que leem, trazendo uma grande reflexão sobre o futuro do jornalismo nos dias atuais. Ele propôs, então, quatro lições sobre os desafios da mídia e do jornalista atualmente:

A primeira, “A parte invisível da rede já é um relevante formador de opinião no Brasil”, evidencia que às vezes a credibilidade de grandes veículos de comunicação É esquecida por uma fake news que corre pelos grupos de mensagem. As pessoas teriam a tendência de acreditar no que está mais próximo.

O segundo ponto exposto “Para muitos leitores, não faz diferença se a informação é verdadeira ou falsa”, ou seja, as pessoas preferem compartilhar o que gostam, mesmo estando errado, mas não retificam e reconhecem o erro depois.

“Se o debate político fosse mais qualificado, as pessoas se sentiriam motivadas a se informar melhor”, é a terceira lição. Para o jornalista, se as pessoas passassem a não aceitar comentários errôneos ou preconceituosos, trariam um constrangimento coletivo e todos passariam a se informar melhor, por meios confiáveis.

O quarto e último ponto traz “A escola tem um papel central para o futuro dos debates nas redes sociais”, mostrando a importância da educação como primeiro lugar de confronto de ideias e como isso afetaria a forma de receber a notícia.

A EJ BRAVA acompanhou toda a palestra e fez a cobertura fotográfica que pode ser conferida a seguir:

Bookmark the permalink.

Comments are closed