Congresso de ciberjornalismo discute os desafios da tecnologia móvel

Por: Gustavo Zampieri – EJ BRAVA


Aconteceu entre os dias 27 e 29 de setembro, na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, o 8º Congresso Internacional de Ciberjornalismo. O tema deste ano foi “Ciberjornalismo entre o presente e o futuro: Tecnologia móvel como desafio”. O encontro reuniu mais de 160 participantes entre acadêmicos, professores e pesquisadores da área.

O coordenador do evento, Gerson Luiz Martins, informou que o número de trabalhos inscritos duplicou em relação à edição anterior. Mais de 60 trabalhos foram apresentados em 6 GTs, como Estudo de Ciberjornalismo e Mídias Sociais, Jornalismo e Mídias Móveis, Rotinas Produtivas na Era digital. O congresso contou com a participação de grandes nomes do jornalismo como Alexandro Rost, professor e pesquisador da Universidade Nacional de Comahue Argentina, João Canavilhas, professor e pesquisador da Universidade da Beira Interior Portugal, Angela Pimenta, do Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo – Projor Brasil, e outros.

A EJ BRAVA integrou a Comissão Organizadora e realizou a cobertura fotográfica e audiovisual de todo o evento. Confira as imagens abaixo e o tour virtual produzido pelo Professor Silvio Costa Pereira clicando aqui.

UFMS recebe alunos da Universidade de Washington em intercâmbio cultural

DSC_4890 A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), além do ensino, viabiliza projetos que incentivam a cultura entre os alunos, como é o caso do projeto “Cidadania e Cultura”. Em parceria com a Universidade de Washington DC, a Faculdade de Direito da UFMS promove anualmente o intercâmbio que recebe e leva alunos e professores da área de ciências humanas de uma universidade para outra.

Este ano, no mês de agosto, um grupo de 12 estudantes de Takoma, Estados Unidos, visitou o Brasil e passou 10 dias, entre 15 e 25, conhecendo a cultura de Mato Grosso do Sul. Entre os locais visitados estavam o Museu das Culturas Dom Bosco, a Comunidade Quilombola Furnas do Dionísio e as Aldeias Marçal de Souza e Água Bonita.

A Brava, Empresa Júnior de Comunicação da UFMS, é parceira do projeto e enviou algumas integrantes para fazer a cobertura completa do intercâmbio e auxiliar os visitantes a produzir narrativas sobre nosso estado.

Confira a cobertura fotográfica:

Leonardo Sakamoto realiza palestra na UFMS

Por: Beatriz Camargo – EJ BRAVA


No dia 31 de agosto, o curso de jornalismo da UFMS sediou a palestra ‘Jornalismo nos tempos de cólera: ódio e intolerância nas redes sociais’, do jornalista Leonardo Sakamoto, doutor em ciência política pela USP. É professor no curso de jornalismo na PUC-SP, foi pesquisador visitante do Departamento de Política da New School, em Nova York (2015-2016). Também tem um blog e escreve na editoria de cotidiano da UOL.

Leonardo abordou o poder da internet e a invasão dos fake News, inclusive envolvendo seu nome. Ele foi acusado de ganhar meio milhão de reais, de dinheiro público, para falar bem de partidos políticos ou dizer que os idosos são culpados pelos problemas com a previdência; com tais boatos, foi agredido e hostilizado nas ruas, afirmando, assim, que um boato corre muito mais rápido que desmentir o mesmo.

Em tempos de redes sociais, conseguiu perceber que as pessoas não leem o que respeitam, e não respeitam o que leem, trazendo uma grande reflexão sobre o futuro do jornalismo nos dias atuais. Ele propôs, então, quatro lições sobre os desafios da mídia e do jornalista atualmente:

A primeira, “A parte invisível da rede já é um relevante formador de opinião no Brasil”, evidencia que às vezes a credibilidade de grandes veículos de comunicação É esquecida por uma fake news que corre pelos grupos de mensagem. As pessoas teriam a tendência de acreditar no que está mais próximo.

O segundo ponto exposto “Para muitos leitores, não faz diferença se a informação é verdadeira ou falsa”, ou seja, as pessoas preferem compartilhar o que gostam, mesmo estando errado, mas não retificam e reconhecem o erro depois.

“Se o debate político fosse mais qualificado, as pessoas se sentiriam motivadas a se informar melhor”, é a terceira lição. Para o jornalista, se as pessoas passassem a não aceitar comentários errôneos ou preconceituosos, trariam um constrangimento coletivo e todos passariam a se informar melhor, por meios confiáveis.

O quarto e último ponto traz “A escola tem um papel central para o futuro dos debates nas redes sociais”, mostrando a importância da educação como primeiro lugar de confronto de ideias e como isso afetaria a forma de receber a notícia.

A EJ BRAVA acompanhou toda a palestra e fez a cobertura fotográfica que pode ser conferida a seguir:

Evento promove movimento, saúde e diversão

Por: Julisandy Ferreira – EJ BRAVA


JR Cordeiros Dance faz aniversário de três anos e leva pessoas a Arena do Sesc Horto

No dia 30 de junho, ocorreu na Arena do Sesc Horto o evento “3 anos de JR Cordeiros Dance”, criado e realizado por Antônio Carlos Cordeiro Junior, 27, acadêmico de Educação Física da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e atuante há oito anos na área, com o intuito de promover movimento e saúde, sem que se prenda a academia de ginástica. O evento é voltado para as mulheres, que desde o início foi público majoritário, mas é aberto também para a população em geral e tem como mensagem, a dança para todos, independentemente de gênero, classe ou cor.

Júnior conta, que a primeira edição também foi realizada no Sesc Horto e alcançou um público de 100 pessoas. O sucesso foi motivo para que o evento acontecesse novamente no local. A aula é variada, não se prende a um ritmo especifico e trabalha também com iniciantes. “Vai ensinar a dançar e trabalhar a cultura do corpo, não tem obrigação de saber dançar ou ter que decorar um movimento, é livre, o erro é totalmente livre”, diz ele.

Em vários momentos do evento, o dançarino usa o termo “tudo jota” para se comunicar com o público e explica. “Tudo jota é uma metáfora de tudo joia, tem que transparecer essa energia, tem que estar com essa energia em sala de aula, porque essa energia passa para o próximo. Isso não é só uma aula, tem toda uma ideologia por trás, de que as pessoas realmente sintam vontade de viver o movimento, a cultura do movimento, a dança como algo não só tecnicista e mecânico, mas que parta de dentro delas e espalhe”. Futuramente, Júnior pensa em criar um espetáculo próprio e montar uma equipe ou projeto com pessoas do meio da dança.

As atividades também contaram com sorteio e entrega de prêmios. Os membros da BRAVA Comunicação estiveram no evento, puderam acompanhar e participar das atividades praticadas, além de fazer a cobertura fotográfica que você confere a seguir:

Acadêmicos da UFMS realizam atendimento de saúde às comunidades ribeirinhas do Pantanal

Por: Daiana Porto, Danielle Matos e Karina Cantiere – EJ BRAVA


Foram feitos mais de 50 procedimentos de odontologia, enfermagem e nutrição na última visita à BEP

Entre os dias 23 e 25 de junho, representantes da BRAVA – Empresa Júnior de Comunicação e Jornalismo da UFMS – acompanharam cursos da área de Ciências da Saúde à Base de Estudos do Pantanal (BEP), localizada no Passo do Lontra, à 100km de Corumbá. Segundo os moradores da região, o lugar recebe esse nome por ter sido passagem de comitivas pantaneiras que transportavam a boiada em meio as lontras que ali viviam. A BEP abriga um ambulatório médico onde são realizados os projetos “Sorriso Pantaneiro”, do curso de Odontologia, “Caminhos do Empoderamento”, de Enfermagem e Nutrição, e “Atenção Primária à Saúde”, de Medicina. Os acadêmicos atendem às comunidades ribeirinhas em torno do rio Miranda, sempre acompanhados de um professor responsável.

Segundo o professor de odontologia e coordenador do “Sorriso Pantaneiro”, Luiz Massaharu Yassumoto, o projeto não trabalha com agendamento de pacientes, mas com a divulgação antecipada aos ribeirinhos das datas em que acontecerão os atendimentos ao longo do ano. “Eles possuem um calendário das vindas da equipe de saúde que é disponibilizado mais ou menos em fevereiro em escolas, mercados e áreas de maior trânsito. Quem chega até nós é atendido”, garante o professor.

As práticas servem de laboratório para os alunos da graduação, que podem aplicar o conteúdo passado em sala de aula e exercitar a perspectiva social e humana de suas futuras profissões, através do contato com os ribeirinhos. “É um projeto que supera qualquer grade curricular, pois além do conteúdo teórico que nós conseguimos aplicar na prática, aprendemos coisas que não serão usadas apenas na graduação. Ele nos proporciona essa responsabilidade social que devemos ter como profissionais. É muito gratificante para mim como acadêmica de enfermagem ter esse olhar, tanto para com a comunidade como para as questões que envolvem o processo saúde-doença”, avalia a estudante Sílvia Furtado.

Para o morador do vilarejo Vila Margarida e piloteiro de barco de pesca Geraldino Dias, o atendimento na BEP evita os grandes, e muitas vezes caros, deslocamentos a procura de serviços de saúde. “É muito bom pra gente que mora longe, porque a distância até a cidade de Miranda é de 110 quilômetros. Trago todo mês minha família para se consultar”.

Marinete Ribeiro, presidente da comunidade do Passo do Lontra, é atendida pelo projeto desde que mora no entorno, há nove anos. Ela destaca a importância dos exames e consultas realizados na Base, como o preventivo feminino, que seria de difícil acesso nas unidades de saúde. “É muito bom. Se fosse na cidade teríamos que enfrentar filas enormes, correndo risco de nem ser atendido”.

Os atendimentos no posto médico são realizados uma vez por mês,  durante todo o sábado e domingo pela manhã, e incluem exames de saúde da mulher, como o papa nicolau, hemograma, exame bioquímico, glicemia capilar, teste de gravidez, acompanhamento pré-natal,  medição do IMC (índice de massa corporal) para instruções alimentares, raspagem dentária, tratamento e remoção de cáries, controle de pressão arterial, acompanhamento de pacientes diabéticos e hipertensos, além da distribuição de medicamentos para aqueles que já estão em tratamento médico. Ao todo, nessa última visita da equipe à base, foram realizados 21 atendimentos odontológicos, 12 nutricionais e 23 na área enfermagem.  A ribeirinha Conceição Marília trabalha em um hotel próximo à BEP e se beneficia dos serviços oferecidos desde 2012. Ela realizou o pré-natal da filha, hoje com três meses, no posto médico. “Eles acompanharam minha filha até os sete meses. Minha irmã vem aqui, minha mãe, meu padrasto, minha sobrinha.E agora eu trago ela também”, afirma.  Se o paciente necessitar de procedimentos mais complexos ou os diagnósticos apontarem problemas graves, ele é encaminhado para as unidades de saúde da cidade de Miranda.

A EJ BRAVA fez a cobertura das atividades na base que pode ser conferida logo abaixo:


Estrutura

A Base de Estudos do Pantanal foi fundada no início da década de 90 e comporta cerca de 50 pessoas por vez.

Além das habitações, de laboratórios e do posto de atendimento, conta com uma cozinha e um refeitório, que oferecem três refeições diárias aos visitantes – docentes e discentes da UFMS que desenvolvem projetos de extensão, ensino e pesquisa –  e pesquisadores de universidades parceiras do Brasil e exterior. Também abriga uma escola que atende crianças em idade escolar do 1º ao 9º ano.  Os alunos que não chegam em barco, tem à disposição um ônibus para transportá-los pelas estradas de chão.

Os funcionários da base trabalham na cozinha e na manutenção do espaço para receber os grupos, para tanto, residem no local e retornam às suas casas, nas cidades próximas, nos dias de folga.

APAE comemora 50 anos de atuação em Campo Grande

Jhayne Lima
EJ BRAVA


No dia 10 de junho, a APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) comemorou 50 anos de atendimento à pessoas com deficiência física, intelectual e múltipla em Campo Grande. Foram realizadas exposição de fotos e apresentações de música, teatro e dança durante a semana do aniversário.

Artistas regionais como João Paulo e Fernando, Pedro e Guilherme, Alexandre Kenji, Banda Beatles Club, Grupo Zingaro, entre outros, também animaram os dias de evento.

No sábado, dia do jubileu de ouro da APAE, houve uma confraternização com a diretoria da instituição onde foram feitas homenagens e o vídeo institucional foi apresentado.

A EJ BRAVA realizou a cobertura fotográfica do evento e o material pode ser conferido abaixo:

EJ BRAVA realiza palestra sobre Marketing Digital

Heloisa Maria
Karina Cantiere
EJ BRAVA


No dia 06 de junho a Empresa Junior de Comunicação da UFMS, a BRAVA, realizou no anfiteatro do CCHS a primeira palestra. O tema da noite foi Marketing Digital, Filipe Bittencour, gerente da empresa MV Agência foi convidado para falar sobre o assunto. A palestra reuniu acadêmicos, professores e profissionais da área.

Na palestra ele explicou o que é o marketing digital e como conquistar clientes através de estratégias, o evento teve o objetivo de proporcionar conhecimento, assim possibilitando colocá-los em prática. Filipe nos contou suas experiências no mercado e explicou como funciona essa “indústria”, reforçando a ideia do AVATAR, que é um ideal de clientes, pessoas com necessidades reais. Segundo Filipe o marketing está tomado proporções e o mercado aqui da capital é positivo, e tende crescer ao longo dos anos.

VII Semana de Filosofia acontece na UFMS

Beatriz Camargo
Talita Oliveira
EJ BRAVA


A VII Semana de Filosofia, realizada na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), ocorreu do dia 29 de maio a 1º de junho. Nesta edição, a temática central foram às “revoluções – origens e transformações”, já que este ano é o centenário da Revolução Russa. Cada dia uma vertente diferente das revoluções foi trabalhada, dentre elas, as revoluções científicas, na América Latina e no feminino.

O evento contou com diversas apresentações de teatro e musicais, além das palestras dos professores do curso de filosofia da UFMS, Stefan Krastanov e Erickson Cristiano dos Santos; e história, como Carlos Prado, tambem da UFMS. Todas as palestras foram precedidas de uma mesa redonda, guiada por alunos da graduação e mestrado da UFMS e da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

O objetivo foi ampliar o modo de pensar a revolução, não somente na esfera social e política, mas entender os efeitos nas esferas econômica, científica e também cultural, mostrando o legado que cada uma delas deixou na história da sociedade.

A organização foi feita pelo Centro Acadêmico de Filosofia (Cafil) da UFMS e contou com mais de 360 inscritos.

A EJ BRAVA compareceu e realizou a cobertura fotográfica a seguir:

“Hermes e Renato” realizam masterclass com acadêmicos da UFMS

Mylena Fraiha
EJ Brava

A EJ Brava, em parceria com o curso de Jornalismo e a Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Esporte (Proece), realizou na sexta-feira (02/06) o Master Class com Hermes e Renato. O evento ocorreu no Auditório do CCHS e atraiu a atenção tanto de alunos da graduação em jornalismo, como de outros cursos da universidade.

Com o foco de discutir o processo criativo na produção audiovisual, os comediantes contaram a trajetória do grupo e a dinâmica de criação dos roteiros. Bem-humorados e cheios de piadas, relembraram  antigas histórias do grupo, o período de exibição na MTV Brasil, até o momento que ingressaram no canal privado FX Brasil.

Atualmente, o grupo de comédia está em cartaz com o espetáculo “ Hermes e Renato em uma Tentativa de Show”, com apresentações em diversas cidades do país. A EJ Brava compareceu ao evento e os registros fotográficos podem ser conferidos logo abaixo:

Grupo de pesquisa do Curso de Ciências Sociais realiza Ciclo de Debates sobre gênero e sexualidade

Ethieny Karen
Lyanny Yrigoyen
EJ BRAVA


No dia 17 de maio aconteceu a abertura da primeira palestra do Ciclo de Debates (De)marcando Diferenças, no Auditório 1 do Complexo Multiuso da UFMS. Realizado no dia mundial de luta contra a LGBTfobia, o evento contou com a participação da Professora Dra. Regina Facchini da Universidade de Campinas (Unicamp), pesquisadora do Núcleo de Estudos de Gênero – Pagu e do Professor Dr. Horacio Frederico Sívori da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

O debate proporcionou discussões sobre  feminismo, gênero e sexualidade, do ponto de vista sociológico. Ainda serão realizados outros três eventos que ocorrerão até o mês de agosto.

A Empresa Junior BRAVA  esteve presente ao efetuar a cobertura fotográfica que você confere a seguir