Artigos de Fotojornalismo

A ação e a paixão que se colhem num rosto: pensando os regimes de discurso no retrato humano no fotojornalismo

Benjamim picado

Resumo: Neste artigo, pretende-se examinar a questão das regências de discurso da imagem fotojornalística, a partir de uma análise sobre as formas nas quais a presença humana é assimilada como um operador de seus percursos de leitura; nestes termos, examina-se o alcance das tópicas do retrato humano, nas suas funções de desenho do ethos, mas também no modo como se relacionam com os temas da ação e do sofrimento, característicos da cobertura fotojornalística. No fim, examinamos a dimensão pragmática da presença humana na fotografia, tirando proveito deste fenômeno para abordarmos as repercussões possíveis entre representação pictórica e conversação.

Palavras-Chave: retrato, fotojornalismo, ações, paixões.

http://revistas.pucsp.br/index.php/galaxia/article/view/1898/1701

A Brasília de Marcel Gautherot: o deslizamento das fotografias sobre a construção da
nova capital publicadas pela Veja

Fabiana A. Alves

Resumo: Este trabalho mostra como a revista Veja alterou o propósito das imagens do fotógrafo francês Marcel Gautherot sobre a construção de Brasília, reduzindo-as de documentais a meramente ilustrativas. Ou seja, por meio de legendas e títulos, o periódico lhes atribuiu diferentes significados. As seis fotografias analisadas foram veiculadas na edição especial da revista, dedicada ao aniversário de 50 anos de Brasília, que circulou em novembro de 2009. Para a sustentação do estudo, foram utilizados referenciais teóricos sobre a revista, a fotografia, o fotógrafo, e as relações entre texto e imagem.

Palavras-chave: fotografia, deslizamento imagético, Marcel Gautherot, Veja, Brasília.

http://casperlibero.edu.br/wp-content/uploads/2014/05/10-A-Bras%C3%ADlia-de-Marcel-Gautherot.pdf

Ação, instante e aspectualidade da representação visual: narrativa e discurso visual no fotojornalismo

Benjamim Picado

RESUMO: Este texto pretende averiguar, no contexto de um exame concreto de materiais do fotojornalismo, as relações entre o método estrutural de análise da narrativa e certas abordagens estéticas da interpretação das representações visuais: concentramo-nos no problema da significação do instante, como ponto cardinal da resolução do modo como as imagens fotográficas reportam-se às ações;o problema da instantaneidade na fotografia exprime, ao mesmo tempo, um aspecto visual de arresto da integridade temporal das ações e também uma função própria ao discurso narrativo. Interessa-nos avaliar as correlações entre os regimes da representação e as estruturas da percepção como problema atinente ao modo como Umberto Eco propôs as relações entre iconografia e códigos perceptivos; a noção de aspectualidade, oriunda de teorias estéticas contemporâneas, nos parece central para explorar estas relações entre a imagem e a percepção.

Palavras-Chave: fotojornalismo; narrativa; ação.

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/5839/4233

“Acordo do Cinturão Verde de Cianorte”: o uso da fotografia como fator de denúncia
Aida Franco de Lima, Norval Baitello Jr

Resumo: Este trabalho é um recorte da dissertação intitulada Duelo de palavras e imagens: o Acordo do Cinturão Verde de Cianorte e a cobertura dos jornais impressos locais e estaduais, defendida na PUC/SP em 2010. Aborda o uso da fotografia, como fator de denúncia, pelos movimentos sociais contrários ao “acordo”. A mídia e a fotografia tornaram-se determinantes para despertar a atenção – e alterar os rumos – para uma negociação que, em troca da doação de uma área verde para o município de Cianorte, permitia o desmatamento e loteamento de outra parte desta área, com prejuízos para o meio ambiente e para a biodiversidade da região.

Palavras-chave: Cinturão Verde de Cianorte;CMNP; Imagens; Mídia impressa.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/7145/7027

A cobertura fotojornalística do atentado à escola de Beslan em seis newsmagazines portuguesas e brasileiras

Jorge Pedro Sousa, Maria Érica de Oliveira Lima

Resumo: Neste texto descreve-se como seis newsmagazines portuguesas e brasileiras cobriram fotojornalisticamente o atentado à escola de Beslan (Rússia) em setembro de 2004, através de uma análise quantitativa e qualitativa do discurso. Principais conclusões: 1) As fotografias foram estruturantes da narrativa e contribuíram para suportar um discurso de condenação e excomunhão dos terroristas; 2) Os fotojornalistas recuperaram padrões históricos de abordagem da realidade, enfatizando que a história contribui para moldar a forma das fotonotícias; 3) O discurso fotojornalístico é tão selectivo e enviesado como o verbal: mostra na mesma medida em que oculta.

Palavras-chave: Fotojornalismo; Análise de conteúdo; Terrorismo; Crianças.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/1481/1227

A encruzilhada do fotojornalismo

Simonetta Persichetti

Resumo: Este artigo trata da crise do fotojornalismo, desencadeada a partir dos anos 1980, e os debates acadêmicos que permeiam esta discussão. Questiona e sugere como enfrentar as novas formas de informação: o novo fotojornalismo, a espetacularização da notícia e da fotografia, o jornalismo cidadão e a enxurrada de imagens produzidas pelas câmeras digitais amadoras, que aos poucos vão ocupando espaços na mídia.

Palavras-chave: Jornalismo; Fotojornalismo; Crise do fotojornalismo; Espetacularização.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/1484/1230

A edição fotográfica como construção de uma narrativa visual

Fernanda Jansen Mira Catanho

Resumo: Este artigo, baseado no conceito de montagem intelectual, desenvolvido pelo cineasta russo Sergei Eisenstein, trabalha com a premissa de que a edição fotográfica pode ser responsável pela construção de uma narrativa visual. Para tanto, adota um ensaio fotográfico composto por 26 fotografias e o passa para três especialistas editá-lo. O resultado são três narrativas diferentes. Com isso, torna-se evidente que a mensagem fotográfica pode passar por uma re-elaboração criativa e formar discursos enunciativos distintos. Ao final, o trabalho mostra que as diferenças entre os discursos elaborados pelos editores são apreendidos pelo receptor da mensagem fotográfica.

Palavras-chave: Fotografia; Edição de imagens; Narrativa visual; Sergei Eisenstein.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/1494/1240

A ética no fotojornalismo da era digital

Cláudia Maria Teixeira de Almeida, Paulo Cesar Boni

Resumo: Este artigo aborda a ética no fotojornalismo. Com o advento da tecnologia digital – e conseqüente facilidade de tratamento e manipulação da imagem – criou-se uma polêmica em torno da ética de profissionais e de veículos de informação. A diferença entre tratamento e manipulação de imagens também faz parte do estudo. Um resgate histórico revela que a manipulação fotográfica não é uma novidade ou invenção da tecnologia digital. A ética está no profissional e não na ferramenta.

Palavras-chave: Fotojornalismo; Fotografia digital; Ética; Manipulação.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/1477/1223

A fotografia em Zero Hora e zerohora.com: estratégias de apropriação de imagens nas edições em suporte impresso e digital.

Ana Gruszynski, Cristiane Lindemann

Resumo: O artigo apresenta um estudo exploratório que investiga a autoria das fotografias e o lugar de sua inserção em reportagens do jornal Zero Hora em suas edições impressa e digital (zerohora.com). Por meio da análise de conteúdo, verificamos o espaço que estas imagens ocupam na narrativa e sua articulação com os outros elementos editoriais, comparando seu modo de apropriação nos dois suportes. O corpus é constituído de cinco reportagens da Zero Hora e a cobertura a elas relacionada tematicamente veiculada nas mesmas datas no site zerohora.com que somaram 106 matérias. Os dados mostram que das 217 fotos diferentes que apareceram no online, apenas 6% foram publicadas também no impresso – o que evidencia a diversidade no material fotográfico conforme muda o suporte. Além disso, apenas 12% das 106 matérias do site zerohora.com não possuem fotos. Observou-se também a adoção de funcionalidades características da rede como links para bancos de dados e inserção dos internautas no processo produtivo. As iniciativas avaliadas revelam mudanças e tensões que demonstram em um caso singular experiências editoriais que delineiam modos de reconfiguração de processos e produto jornalísticos.

Palavras-chave: Fotografia. Webjornalismo. Jornalismo impresso. zerohora.com. Zero Hora.

http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/animus/article/view/4233/2619

A fotografia no tensionamento do noticiário trágico nas capas de jornais populares

Paulo Bernardo Vaz, Rodrigo Daniel Levoti Portari

Resumo: O artigo investiga a representação recorrente da tragédia no jornalismo popular, explorando a presença da violência, morte e do trágico na capas destes jornais, e  levanta  hipóteses acerca de estratégias dos jornais em tensionar o trágico e o não trágico em suas capas, amenizando os impactos provocados pelas tragédias.

Palavras-chave: Trágico; Jornalismo Popular; Capas de jornais; Fotografia.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/13540/pdf

A função informativa da legenda fotográfica: o massacre de Realengo

Luiza Lusvarghi, Mônica Zarattini

Resumo: O artigo visa investigar a função informativa da legenda fotográfica e como as linguagens visual e escrita se relacionam nos jornais diários brasileiros. As edições de 36 capas de jornais de todas as regiões do país do dia 8 de abril de 2011 sobre o massacre do Realengo foram analisadas. Com o suporte teórico de Roland Barthes, Martine Joly, Milton Guran, Jorge Santos e Ivan Lima foram selecionadas as legendas de duas imagens que se repetiram em mais da metade do corpus. Na maioria dos casos, as legendas fotográficas não cumpriram a função informativa, mas sim a descritiva e a opinativa.

Palavras-chave: Fotografia; Fotojornalismo; Legenda; Mensagem jornalística.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/11926/10491

A ilustração fotográfica como recurso retórico: um olhar sobre a fotografia no jornalismo de revista

Ana Carolina Lima Santos

Resumo: O presente trabalho tenta conceber a ilustração fotográfica em consonância com certas categorias jornalísticas, a saber: os jornalismos interpretativo e opinativo, em especial aqueles praticados pelo jornalismo de revista. Nesse sentido, à simples noção de um tipo de fotografia produzido e/ou montado para ilustrar matérias jornalísticas, a foto-ilustração passa a ser caracterizada como uma imagem na qual, ao se concretizar um determinado conceito acerca do assunto noticiado, é possível delinear visualmente uma interpretação ou argumentação sobre ele.

Palavras-chave: Fotografia. Foto-ilustração. Jornalismo de revista.

http://www.cchla.ufpb.br/ppgc/smartgc/uploads/arquivos/32599e274620101009060746.pdf

A imagem do Brasil sob a visão do outro: uma análise das fotografias sobre o Brasil no site www.boston.com/bigpicture

Anna Letícia Pereira de Carvalho

Resumo: O presente artigo propõe analisar as imagens sobre o Brasil que aparecem no site www.boston.com/bigpicture, sob um viés crítico do entendimento de imagens fotojornalísticas contemporâneas, de modo a promover um debate sobre a disseminação de ideologias e de representações sociais nos meios de comunicação. Pretende-se discutir também a questão da credibilidade na fotografia através do entendimento de que ela participa da esfera cultural e social. Culminando num estudo mais aprofundado sobre a retórica visual e a
noção do imaginário.

Palavras-Chave: Fotojornalismo. Imagens do Brasil. Site boston.com/bigpicture. Representação Social

http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/comtempo/article/viewFile/7913/7312

A imagem fotográfica do cotidiano: significado e informação no jornalismo

Atílio Avancini

Resumo: O fundamento teórico deste artigo são os princípios conceituais dos franceses Philippe Dubois (baseado no livro O Ato Fotográfico), Roland Barthes (livro A Câmara Clara) e Henri Cartier-Bresson (texto O Instante Decisivo). Seus textos de leitura são referência para o objetivo de proporcionar uma compreensão dos significados das fotografias na narrativa jornalística. É um debate crítico sobre a presença da imagem fotográfica no jornalismo, reorganizando conhecimentos diante da fragilidade conceitual, que passa a fotografia digital como documento e informação. Uma das ideias a ser considerada se vincula na hipótese de que hoje, na reconfiguração dos estudos fotográficos do cotidiano urbano (crise de identidade gerada pela tecnologia digital), o sentido se faz mais importante do que a imagem pela imagem.

Palavras-Chave: Comunicação. Jornalismo visual. Reportagem fotográfica. Vida urbana. Significação na fotografia

http://bjr.sbpjor.org.br/bjr/article/view/285/267

A insustentável leveza do clique fotográfico

Ana Flávia Sípoli Cól, Paulo Cesar Boni

Resumo: Este artigo trata da ética na cobertura fotojornalística de guerras e violências, com ênfase nas chamadas fotos-choque. Para sustentar a discussão, recupera historicamente as guerras cobertas fotograficamente, as quais contextualiza e associa às evoluções do poderio bélico e dos equipamentos fotográficos. Historia o surgimento da estética do horror para, a partir de seu uso na mídia, discutir a responsabilidade ética dos produtores, dos editores e do público na produção, divulgação e consumo de imagens chocantes.

Palavras-chave: Ética; estética do horror; fotos-choque; fotojornalismo de guerra.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/1465/1211

Análise discursiva das legendas e fotografias do jornal Brasil de Fato

Jonathan Raphael Bertassi da Silva, Lucília Maria Sousa Romão

RESUMO: Neste trabalho, buscamos refletir sobre o modo como a fotografia jornalística faz circular efeitos da memória discursiva em enquadramentos, planos, jogos de luz e cores, ângulos e recortes, silenciando outras possibilidades viáveis de registro, ou seja, instalando certos efeitos de sentido em detrimento de outros. Partimos, para realizar as análises e o desenvolvimento teórico, dos conceitos da Análise do Discurso de matriz francesa, propondo um diálogo com os trabalhos de teóricos sobre a fotografia e interpretando o sentido de onipresença do discurso não verbal na mídia, na qual o papel da fotografia inscreve uma garantia de suposta “realidade” e pretenso “realismo”. Nosso corpus de análise é constituído por fotografias e legendas coletadas no jornalBrasil de Fato, ao longo dos anos de 2005 e 2006.

Palavras-chave: Discurso jornalístico, jornal Brasil de Fato, fotografia, ideologia.

http://www.revistas.usp.br/significacao/article/view/67035/69645

Andarilhagens portenhas: crônicas fotográficas sobre Buenos Aires

Fernando de Tacca

Resumo: Para apresentar a importância das narrativas visuais no fotojornalismo, aborda-se o processo de realização de ensaios fotográficos publicados como crônicas visuais produzidas por Pierre Verger nos anos de 1941/1942 e por Fernando de Tacca em 2004. Para Pierre Verger, o foco se deu nos temas cotidianos, e na série chamada de “Diários Portenhos” evocaram-se memórias do regime militar, mitos argentinos nas imagens e a forte presença política das Mães da Praça de Maio.

Palavras-chave: fotojornalismo, crônicas visuais, Pierre Verger,cultura portenha.

http://casperlibero.edu.br/wp-content/uploads/2014/05/2-Andarilhagens-portenhas.pdf

Anotações sobre a fotografia de futebol

Rui Cezar dos Santos

Resumo: O autor apresenta de maneira sintética as principais evoluções na fotografia e sua apropriação pelo fotojornalismo esportivo. Discorre sobre a imaginária que a Indústria Cultural sabe explorar, produzindo rica iconografia do esporte, dentro da qual o atleta surge ao mesmo tempo como ídolo, de maneira idealizada, e como atleta, nos fragmentos que realçam o detalhe.

Palavras-Chave: história da fotografia, fotografia digital, fotojornalismo esportivo.

http://www.fumec.br/revistas/mediacao/article/view/242/239

A polarização Oriente-Ocidente no fotojornalismo pós-11 de setembro: a sedimentação de estereótipos do muçulmano como texto cultural

Alberto Klein

Resumo: Os impactos políticos, econômicos e sociais, decorrentes dos atentados de 11 de setembro de 2001, não deixaram na sombra mudanças de sentido que se processam na ordem da cultura e da mídia. Em meio às transformações de um universo cultural circunscrito midiaticamente, é possível detectar um procedimento que se deu instantaneamente após os atos terroristas e que se perpetua no tempo, diga-se: a redefinição do islã como imagem invertida do Ocidente. A tentativa de constituição de uma nova alteridade resulta em imagens que comportam o status de textos da cultura e são assim distribuídas por jornais, revistas, TV e internet. Este trabalho tem como objetivo analisar estes mecanismos semióticos no âmbito do fotojornalismo da Folha de S. Paulo. O mecanismo de polarização, descrito por Ivan Bystrina, constitui-se como eixo de reflexão deste trabalho. Também são exploradas a noção de Orientalismo, de Said, e estereótipo, de Bhabha.

Palavras-Chave: Fotojornalismo; Oriente Médio; texto cultural; estereótipo.

http://revista.cisc.org.br/ghrebh/index.php?journal=ghrebh&page=article&op=view&path%5B%5D=360&path%5B%5D=364

As mídias digitais como suporte comunicacional: O renascimento do fotojornalismo nas ondas tecnológicas

Erivam Morais de Oliveira

Resumo: Artigo apresentado no ENPJ – Encontro Nacional de Professores de Jornalismo, organizado pelo FNPJ – Fórum Nacional de Professores de Jornalismo e pela UFU – Universidade Federal de Uberlândia, em abril/2012.

Palavras-Chave: arte; fotojornalismo; tecnologia.

http://www.fnpj.org.br/rebej/ojs/index.php/rebej/article/viewFile/220/157

A Tolerância dos Fotojornalistas Portugueses à Alteração Digital de Fotografias Jornalísticas

Jorge Pedro Sousa

Resumo: Este estudo, baseado num inquérito realizado a nível nacional, sugere que a tolerância dos fotojornalistas portugueses à alteração digital de fotografias jornalísticas depende da categoria das fotografias. De facto, os fotojornalistas portugueses são intolerantes à alteração de spot news e de fotografias semi-previsíveis, um pouco mais tolerantes à alteração de fotografias de features e ainda mais tolerantes à alteração de ilustrações fotográficas. Todavia, os fotojornalistas portugueses são mais intolerantes do que os editores fotográficos norte-americanos à alteração computacional de fotografias jornalísticas.

Palavras-chave: jornalismo, fotojornalismo, fotografia digital.

http://200.144.189.84/revistas/index.php/revistaintercom/article/view/1001/904

Autenticidade e sinceridade na fotografia de reportagem

Anne Beyaert-Geslin

Resumo: O artigo visa precisar a relação da fotografia de reportagem com a verdade. Primeiro ele observa sua relação com a autencidade e a sinceridade. Depois, ele propõe uma definição elaborada a partir do conceito de acontecimento e descreve uma cena em que a distância do repórter desse acontecimento refere-se quer à moral, quer à ética. Enfim, ele sugere que o contrato enunciativo que liga o repórter ao observador trata da moral (contrato moral) mais do que da verdade (contrato de verdade).

Palavras-chave: fotografia de reportagem; verdade; autenticidade; sinceridade; acontecimento; contrato enunciativo; controle moral.

http://revistas.pucsp.br/index.php/galaxia/article/view/3304/2215

Belo Horizonte panorâmica e a(s) cidade(s) fotojornalística(s)

Frederico de Mello Tavares

Resumo: Este texto busca olhar para representações fotojornalísticas da cidade de Belo Horizonte, veiculadas nos cadernos “Cidade” de alguns de seus principais jornais no dia do aniversário de 106 anos da cidade. Observando diferentes panoramas jornalístico-fotográficos elaborados pelos periódicos, tenta-se alcançar que imagem se cria sobre a capital mineira. O trabalho baseia-se em dados e resultados presentes na pesquisa “Na cidade, o fotojornalismo; no fotojornalismo, Belo Horizonte”, realizada junto ao curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais e ao GRIS (Grupo de Pesquisa em Imagem e Sociabilidade da UFMG), de abril de 2003 a março de 2005.

Palavras-Chave: Fotografia, cidade, Belo Horizonte, Panorama.

http://www.ielusc.br/BancoArquivos/RASTROS/CONTEUDO/arquivos/Frederico%20Tavares.pdf

Caso Beslan: a morte como apelodiscursivo nas fotografias jornalísticas de Veja

Laura Elise de Oliveira Fabrício, Marina Lorenzoni, Chiapinotto Michele Negrini

Resumo: Este texto tem como objetivo fazer uma reflexão sobre a fotografia jornalística como um mecanismo de apelo discursivo ao retratar a morte. O foco deste estudo é a cobertura do atentado à escola de Beslan, na Rússia, publicada na revista Veja. Como objeto de análise, tomamos dois textos imagéticos sobre o caso publicados na edição de Veja de 8 de setembro de 2004. Observamos a produção de sentidos e a discursividade a partir de técnicas fotográficas e dos elementos morfológicos e barthesianos de análise de imagens estáticas.

Palavras-chave: fotografia jornalística, discurso, morte, produção de sentidos, revista Veja.

http://www.ielusc.br/BancoArquivos/RASTROS/CONTEUDO/arquivos/Laura%20Fabricio.pdf

Cinco hipóteses sobre o fotojornalismo em cenários de convergência

José Afonso da Silva Junior

Resumo: O cenário de profundas alterações proporcionado pela convergência digital desdobra-se sobre a cadeia produtiva da fotografia de notícia. Problematizamos essa atividade através de etapas sucessivas de modo a categorizar o que seria o fotojornalismo em tempos de convergência. A partir desse patamar, trabalham-se cinco hipóteses gerais de como se articulam pontos chave na produção do fotojornalismo contemporâneo. Por fim, essas hipóteses são revisitadas criticamente em função de exemplos empíricos relacionados com a justaposição entre fotojornalismo e convergência digital.

Palavras-chave: Fotojornalismo; Convergência digital; Rotinas de trabalho no fotojornalismo.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/11925/10489

Circulação de conteúdo no fotojornalismo contemporâneo: aspectos sobre arranjo, participação e narratividade

João Guilherme de Melo Peixoto

Resumo: As alterações na cadeia de circulação e consumo do fotojornalismo na contemporaneidade transcendem as esferas de arquivamento e transmissão de conteúdo. Pode-se afirmar que mudanças significativas nas engrenagens de criação apontam para remodelações que fornecem indícios a respeito de novas abordagens, novas tendências para o ofício. O presente artigo aborda algumas destas mudanças referentes aos campos do arranjo, da participação e da narratividade, buscando apontar tendências que indiquem o desenvolvimento e mutação da atividade.

Palavras-Chave: Convergência digital. Fotojornalismo.Circulação fotojornalística. Narratividade.Interatividade.

http://www.cchla.ufpb.br/ppgc/smartgc/uploads/arquivos/bf6f25eb0b20120611085752.pdf

Critérios de noticiabilidade e o fotojornalismo

Ivan Luiz Giacomelli

Resumo: Este artigo é um levantamento destinado a verificar, de forma preliminar, a influência dos critérios de noticiabilidade no fazer fotojornalístico, bem como se o fotojornalismo influencia na escolha e seleção dos fatos serão notícia nos jornais do dia seguinte. Integra este estudo um breve relato histórico sobre a evolução tanto do jornalismo quanto do fotojornalismo, seguido de conceitos de noticiabilidade nas duas áreas. Por fim, verifica empiricamente a influência dos critérios de noticiabilidade do fotojornalismo no jornalismo.

Palavras-chave: Critérios de noticiabilidade; Seleção de notícias; Jornalismo; Fotojornalismo.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/1924/1657

Da foto à fotografia: os jornais precisam de fotógrafos?

José Afonso Silva Junior

Resumo: Adotando um caso sintomático, a demissão de toda a equipe de fotógrafos do Jornal Chicago Sun Times, em junho de 2013, e a transferência desta tarefa para os repórteres, o texto analisa o fato de modo múltiplo: através da transição tecnológica e profissional do fotojornalismo; da progressiva desintermediação do fotojornalismo como conjunto de práticas vinculada à notícia; e pela adoção da convergência digital e sua consequente formatação do profissional polivalente, com competência flexível. Após essa discussão preliminar, aborda-se o percurso ontológico do fotojornalismo sob a hipótese destes fatores atuarem em um reposicionamento epistemológico dos epertórios envolvidos na produção da fotografia de notícia. Resultando, deste modo, em possíveis tendências que reestruturam o conceito profissional do fotojornalismo e do fotógrafo de imprensa.

Palavras-Chave: fotojornalismo, convergência digital, polivalência profissional.

http://www.portalseer.ufba.br/index.php/contemporaneaposcom/article/view/9795/7542

Diante da dor, dentro da cena: outros pactos do olhar no fotojornalismo contemporâneo

Angie Biondi

Resumo: A proposta deste artigo é refletir sobre o modo como alguns exemplares do fotojornalismo tematizam as situações de sofrimento construindo uma espécie de releitura, a partir de uma relação muito próxima com certos elementos do melodrama. Compartilhando da concepção de “imaginação melodramática” de Peter Brooks (1995), que entende seu conceito para além da delimitação de um gênero ou da simples fixação de um modelo sistemático de narrativa, mas como um “modo de ver e experimentar o mundo”, o texto indica aspectos desta relação entre fotojornalismo e melodrama, na qual a figuração das personagens e sua ênfase nas histórias privadas assumem um tratamento tanto específico quanto especial nos veículos. Esta aproximação, contudo, além de solicitar um engajamento afetivo do olhar propõe, ao espectador, uma demarcação moral no modo como experimenta estas imagens.

Palavras-Chave: Fotojornalismo; Sofrimento; Imaginação melodramática.

http://www.portalseer.ufba.br/index.php/contemporaneaposcom/article/view/3995/3378

Do instante ao estado de coisas: formas da estabilidade no discurso visual do fotojornalismo

Benjamim Picado

RESUMO: O texto procura examinar a questão da função narrativa atribuída aos temas da estabilidade no fotojornalismo, tomando como modelo de comparação as relações entre os temas de paisagem e o conceito de sublimidade da representação pictórica, na análise que o historiador da arte Louis Marin faz das funções narrativas nas tópicas da natureza, em Nicolas Poussin. Do lado do fotojornalismo, tomamos como exemplo dessas questões o ensaio visual “Shattered”, realizado pelo fotógrafo de guerra James Nachtwey, sobre os instantes seguintes do ataque às torres gêmeas, publicada na revista Time, como campo de provas da análise desse problema da estabilidade e do dicurso visual na fotografia.

Palavras-chave: Fotografia, narrativa visual, paisagem.

http://www.revistas.usp.br/significacao/article/view/67038/69648

Dublê de corpo: retórica do sofrimento no fotojornalismo contemporâneo

Carlos Magno Camargos Mendonça, Angie Biondi

Resumo: O objetivo deste artigo é refletir de que modo uma experiência do sofrimento é convocada e como funciona enquanto regime de visibilidade, a partir de alguns exemplares do fotojornalismo contemporâneo. Acreditamos que nestas imagens o corpo aparece em uma espécie de retórica do sofrimento. À medida que pensamos a articulação entre rosto, gesto, expressão e valores, o corpo assume o lugar de escrita e de inscrição de si e do outro, que provoca uma reflexão acerca da experiência do ver e do sentir comum.

Palavras-chave: corpo. sofrimento. Fotojornalismo.

http://www.uff.br/contracampo/index.php/revista/article/view/84/60

Enchentes no Nordeste: a humanização da notícia na cobertura fotográfica da Folha de S. Paulo

Carolina Zoccolaro Costa Mancuzo, Renato Pandur de Maria, Paulo César Boni

Resumo: Este artigo analisa as fotografias da cobertura das enchentes no nordeste brasileiro, tomadas pelo repórter fotográfico Fernando Donasci e publicadas na Folha de S. Paulo, de 18 a 25 de maio de 2009. Seu objetivo é avaliar, por meio da desconstrução analítica, proposta por Boni (2000), qual a intencionalidade do fotógrafo ao capturar cada uma das imagens analisadas. A desconstrução analítica – identificação e conceituação dos recursos técnicos e dos elementos da linguagem fotográfica – possibilita se aproximar da intencionalidade de comunicação do emissor no ato fotográfico. Com a análise, ficou fortemente conotado que Fernando Donasci utilizou cores quentes e valorizou o elemento humano na busca pela humanização da notícia.

Palavras-chave: Folha de S.Paulo; Fernando Donasci; fotojornalismo;desconstrução analítica; humanização da notícia.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/5685/5174

Entre bits e dólares: desafios para o financiamento da produção fotojornalística contemporânea.

José Afonso da Silva Junior, João Guilherme de Melo Peixoto

Resumo: A atividade fotojornalística atravessa atualmente o maior conjunto de alterações na sua cadeia produtiva desde que foi agregada aos processos digitais e em rede. Esse conjunto de mudanças atinge os meios de produção, edição e circulação de conteúdo e estabelece para a atividade novos desafios e propostas. Neste trabalho observamos que, para além das questões de ordem ontológica, os aspectos relacionados à economia e ao financiamento da produção fotojornalística mostram-se igualmente em transformação. Como método de análise, busca-se comparar as possibilidades em tela, com o tradicional modelo usado por jornais e revistas ilustradas, em um momento em que podemos chamar de fotojornalismo pré-convergente. De modo complementar, objetiva-se indicar as principais alternativas dessas novas tendências.

Palavras-chave: Fotojornalismo. Convergência digital. Financiamento. Circulação fotojornalística

http://bjr.sbpjor.org.br/bjr/article/view/504/443

Ética, imagem e fotografia na mídia informativa impressa

Isaac Antonio Camargo

Resumo: Este trabalho propõe uma discussão em torno do uso da fotografia na mídia impressa informativa, tomando-a como recurso de informação correlacionado ao texto verbal. Analisa esse uso a partir da semiótica, como um elemento de significação tão ou mais eficiente que o texto verbal impresso, capaz de estabelecer relações entre diferentes níveis discursivos – verbal e/ou visual – produzindo, direta e indiretamente, outros efeitos de sentido que, em função do contexto social, histórico e jornalístico, o texto verbal, por si só, não produziria. Tais efeitos suscitam reflexões de caráter ético, posto que os modos de dizer e de significar propostos pelas editorias dos periódicos atuam como discursos paralelos, manipulando o leitor e as próprias normativas éticas prescritas pelos seus códigos de conduta.

Palavras-chave: Imagem; Fotografia; Mídia impressa; Ética; Direito.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/11931/10501

Estratégias de produção de sentidos: uma reflexão sobre a comicidade e a metáfora na ilustração fotográfica

Ana Carolina Lima Santos

Resumo: O presente trabalho tenta conceber os modos de produção de sentidos da foto-ilustração, dando especial atenção à comicidade e à metáfora. As ideias de um efeito cômico e de um caráter metafórico dessas imagens são trabalhadas a fim de serem entendidas numa dupla função: de um lado, estabelecendo uma relação de cumplicidade com o leitor e, de outro, servindo enquanto operador cognitivo. Assim, elas funcionam para um fim retórico, pois se configuram como procedimentos para a construção de uma mensagem que visa guiar o leitor na interpretação dos assuntos noticiados.

Palavras-chave: Foto-ilustração; Comicidade; Metáfora; Jornalismo de revista.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/4955/4277

Estratégias sensíveis: fronteiras entre fotojornalismo e publicidade

Michelle Sprandel, Angela Cecília Confortin

Resumo: Este trabalho visa a abordar algumas estratégias de persuasão do discurso publicitário. Da perspectiva de sua relação com o jornalismo, principalmente com o fotojornalismo, a publicidade tenta se estabelecer sobre estratégias de fazer parecer verdadeiro e de suposta evidência das qualidades do produto, o que Floch designa como publicidade referencial. Tais estratégias amparam-se em dispositivos de ordem figurativa e plástica, convocados a “fazer sentir” os discursos mais do que a compreendê-los racionalmente, com vistas, portanto, a uma eficácia comunicativa sobre o público-alvo a ser atingido. A partir daí, e na esteira de Muniz Sodré, é que se fala, no presente texto, em estratégias sensíveis dos discursos publicitários, tendo como foco a análise das articulações de texto e imagem presentes nos exemplos de publicidade selecionados para a constituição do corpus.

http://revistas.unisinos.br/index.php/versoereverso/article/view/6999/3997

Figuras solenes, fatos qualificados: narrativas de vida e morte no fotojornalismo

Paulo Bernardo Vaz, Angie Biondi

Resumo: O propósito deste texto é contestar o caráter de excepcionalidade que parece atrelado às raízes da figuração de vítimas de catástrofes para compreender sua posição como parte de um contexto ético-político mais amplo, que empreende as narrativas contemporâneas do fotojornalismo, pautado em uma concepção de vida e morte qualificadas. Aqui, o corpo assume um ponto de inflexão importante no momento em que promove uma espécie de cesura entre fato e identidade. Exemplares do jornalismo nos servem de base para esta discussão.

Palavras-chave: Corpo; Catástrofe; Fotojornalismo; Identidade; Visibilidade.

http://www.pos.eco.ufrj.br/ojs-2.2.2/index.php?journal=revista&page=article&op=view&path%5B%5D=445&path%5B%5D=463

Fotografia e jornalismo: da prata ao pixel – discussões sobre o real

Dulcília Helena Schroeder Buitoni

Resumo: Este ensaio discute as relações entre fotografia, jornalismo e o real e mostra como alguns autores têm abordado esse tema. Há um pequeno levantamento histórico da fotografia na imprensa brasileira. Quais são as razões de uma imagem ser considerada jornalística? Processos analógicos e formas digitais foram da imprensa – jornais e revistas – ao webjornalismo. Vimos profundas mudanças tecnológicas; porém o uso de caminhos digitais não tem ajudado o jornalismo a atingir mais qualidade expressiva e informativa. O conceito de imagem complexa pode abrir novas perspectivas teóricas e práticas.

Palavras-chave: fotografia jornalística, real, índice, imagem digital.

http://casperlibero.edu.br/wp-content/uploads/2014/05/Fotogra%EF%AC%81a-e-jornalismo.pdf

Fotografias e legendas do jornal BRASIL de FATO: discurso e ideologia

Lucília M.S. Romã, Jonathan R.B. da Silva

RESUMO: O presente trabalho visa rastrear a ideologia instalada em fotografias e legendas sobre a questão agrária publicadas no jornal BRASILdeFATO. Utiliza-se o referencial teórico da Análise do Discurso de matriz francesa, cujos pressupostos atentam para uma leitura menos ingênua do discurso textualizado na mídia, a qual toma o discurso não verbal como “imparcial”, como prova incontestável de uma realidade objetiva que independe da formação social e ideológica do sujeito-fotojornalista.

Palavras-chave: análise do discurso; ideologia; fotojornalismo.

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/4102/3102

Fotografia documental e início do fotojornalismo

Lisbeth Oliveira

Resumo: A questão do realismo na Fotografia a partir de novas reflexões teóricas como as de Philippe Dubois que, baseadas nas categorias peircianas dos signos (ícone, índice e símbolo), reconhecem o caráter indiciário da foto, antes mesmode reconhecê-la como íconé ou símbolo. A Fotografia Documental, discussão intensificada na América dos anos 20 pelos fotógrafos da Farm Security Administration (FSA), que produziram a chamada Fotografia de Autor, e a influência dela no nascimento do Fotojornalismo mundial, também são tema deste trabalho.

Palavras-chave: Fotografia Documental. Fotojornalismo. Realismo na Fotografia.

http://www.revistas.ufg.br/index.php/ci/article/view/22845/13587

Fotografia jornalística e mídia impressa: formas de apreensão

Frederico de M. Brandão Tavares, Paulo B. Ferreira Vaz/ GRIS -UFMG

RESUMO: Este texto busca atentar para a importância do fotojornalismo enquanto forma de representação visual na mídia impressa na atualidade. Mais especificamente, procura-se pensar o papel da relação fotografia-jornalismo nos processos de construção de sentido existentes nos veículos impressos jornalísticos de grande circulação. Neste percurso são explorados alguns aspectos e características da linguagem fotojornalística, bem como sua inserção no contexto midiático e social.

Palavras-chave: Fotojornalismo; Mídia Impressa; Jornal Diário.

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/3329/2587

Fotografia nas eleições: efeitos de segundo nível do agenda-setting

Paulo Munhoz

Resumo: O artigo busca testar a hipótese de que a saliência (primeiro nível do agenda-setting) e a imputação de atributos (segundo nível do agenda-setting) ocorrem também através das fotografias. Como material empírico, coletou-se e analisou-se a cobertura fotojornalística dada pelos principais jornais de Salvador aos candidatos à sucessão da prefeitura municipal, nas últimas eleições. A conclusão geral é de que os veículos midiáticos agendam de maneira valorativamente diferente cada um dos candidatos também através de representações icônicas e não apenas textuais.

Palavras-chave: Agenda-setting; Fotojornalismo; Media effects; Jornalismo e política; Mídia e eleições; Photojournalism; Political journalism; Media and elections

https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/article/view/2239/1938

Fotografia, imaginário e os lugares do Outro: um passeio por imagens do ataque israelense à Faixa de Gaza

Alberto Carlos Augusto Klein, Regina Krauss

Resumo: Este trabalho apresenta a análise da cobertura imagética do maior ataque israelense à faixa de Gaza nas capas da Folha de S. Paulo entre dezembro de 2008 e fevereiro de 2009. A partir dos esquemas de representação escolhidos na edição fotográfica do jornal, atenta para a caracterização dos lados envolvidos utilizando como subsídio os conceitos de teóricos da imagem, além das noções de estereótipo e arquétipo, para compreender de que modo se elabora a construção da Alteridade na oposição Ocidente versus Oriente.

Palavras-chave: Fotojornalismo. Alteridade. Israel e Palestina. Folha de S. Paulo.

http://revistacmc.espm.br/index.php/revistacmc/article/view/316/pdf

Fotojornalismo brasileiro e a crise das representações na sociedade pós-industrial

Eduardo Bentes Monteiro

Resumo: O artigo trata de um exercício de leitura e desconstrução da fotografia brasileira a partir de novas reflexões teóricas, como as de Fred Ritchin sobre o futuro do fotojornalismo e a crise das representações culturais na atual sociedade pós-moderna.

Palavras-chave: Fotojornalismo. Fotografia brasileira. Teoria da fotografia.

http://www.revistas.ufg.br/index.php/ci/article/view/22861/13602

Fotojornalismo colaborativo em tempo de convergência

José Afonso da Silva Jr., Eduardo Queiroga

Resumo: O presente artigo visa abordar o surgimento dos coletivos fotográficos contemporâneos e sua prática vinculada ao fotojornalismo. Estabelecem-se, neste sentido, cruzamentos teóricos com a consolidação de um novo regime de construção da imagem, recuperando-se precedentes da história da fotografia na sua interação com o jornalismo. Procura-se assim trabalhar inicialmente um conjunto de características, bem como se formam os condicionantes, que colaborem para a delimitação e compreensão do problema. Apresenta-se ainda um caso de análise, da Cia. de foto, procurando indicar as consolidações e/ou contradições do fenômeno.

Palavras-chave: Coletivo fotográfico; fotojornalismo; Convergência; Colaboração; Cia de foto.

http://bjr.sbpjor.org.br/bjr/article/view/27/28

Fotojornalismo e ação cultural em Curitiba

Alberto Melo Viana

Resumo: Aconteceu em Curitiba uma ação cultural, idealizada e coordenada por fotojornalistas, que desencadeou mudanças significativas nos modos de ver e de fazer fotografia na cidade, tanto no campo da produção, como, principalmente, no da linguagem. Várias dessas ações, tais como a Mostra de Fotojornalismo, a Semana de Fotografia e a Bienal Internacional de Fotografia, não mais existem. O artigo pretende analisar como se deram as relações entre o poder público, os fotógrafos – na condição de organizadores dos eventos – e a comunidade. Tomou-se como hipótese que a política cultural local e o marketing dos agentes públicos constituíram os principais responsáveis pela suspensão daquelas atividades, em certa medida já consagradas no cenário regional, analisando-se as importantes contribuições que esses eventos trouxeram para o fazer fotográfico na cidade.

Palavras-chave: Fotografia; fotojornalismo; Ação cultural; Curitiba.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/4952/4271

Fotojornalismo esportivo: a influência da televisão na imagem impressa

Maria Fernanda Cordeiro, Paulo Cesar Boni

Resumo: Este artigo discute a espetacularização no fotojornalismo esportivo, especialmente no futebol, esporte considerado a “paixão nacional”. Recursos gráficos e imagéticos de espetacularização, antes exclusividade da televisão, passam a ser utilizados também pelos veículos impressos. O estudo traça um paralelo entre as imagens televisivas e as do jornal diário Lance!, considerado o maior diário esportivo do país. Detecta que as imagens televisivas exercem influência sobre as do Lance!.

Palavras-chave: Fotojornalismo; esporte; espetáculo; televisão.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/1469/1215

Fotojornalismo e imagens locais: dois pontos de vista, duas profissões?

Daniel Thierry

Resumo: A prática clássica do fotojornalismo – profundamente enraizada no “credo” constituído a partir de Lewis Hine (1874-1940) – tem estabelecido, década após década, uma práxis e uma doxa quase não afetadas pelas transformações das formas do jornalismo. Desde a busca pela “boa imagem” – que seria percebida em sua transparência, em um esforço de refutar os traços enunciativos, numa perspectiva de objetividade máxima -, até a fotografia mais sedutora disponível em um hipermercado de ilustrações, a oferta de imagens parece bem delimitada. Entretanto, longe da grande reportagem e da prática da excelência fotográfica recompensada por inúmeros prêmios internacionais e aparições nos espaços artístico-mediáticos, a fotografia da imprensa local permanece em segundo plano. Como oferecer uma representação de si mesmo que possa ser compartilhada no espaço local? Essa é a primeira pergunta que se faz aos editores da imprensa diária e semanal local. A partir de exemplos das práticas profissionais nesse domínio, o artigo propõe uma abordagem das filiações dessas mesmas práticas e uma análise com base na originalidade do status profissional dos autores das fotografias locais.

Palavras-Chave: Jornalismo. Fotografia. Proximidade. Ordinário. Mídia local.

http://bjr.sbpjor.org.br/bjr/article/view/286/268

Fotojornalismo: entre a opacidade e a transparência

Sandra Maria Lúcia Pereira Gonçalves

Resumo: A partir dos conceitos de Fotografia Menor (Gonçalves, 2009) e de Imagem Cristal (Deleuze, 2007; Fatorelli, 2003) buscar-se-á pensar o trabalho de Robert Frank como o germe de um fotojornalismo possível na contemporaneidade, momento em que sua função primordial, informação, se desloca através da imposição de novos formatos. Dá-se então o aparecimento de um novo tipo de imagem, que, sem fugir à referencialidade própria da imagem jornalística, indica outras possibilidades para além do fato jornalístico imediato. No escopo do presente trabalho, essa nova imagem é detectada no fotojornalismo impresso do jornal Zero Hora (RS). Estabelece-se um jogo entre opacidade e transparência na informação visual fotográfica.

Palavras-chave: Fotografia menor; Imagem cristal; Robert Frank; Jornal zero hora.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/12211/11291

Fotojornalismo: da estetização à transformação do leitor em sujeito

Ana Paula da Rosa

Resumo: Todo o esforço do jornalismo é uma representação que visa fazer com que o discurso pareça verdadeiro. Nesse sentido, a fotografia tem sido cada vez mais utilizada, já que para o senso comum ela possui a capacidade (ilusória) de retratar o real. Assim, nas últimas décadas, o que se viu foi o surgimento de um processo de estetização do jornalismo impresso com o uso constante de fotografias e gráficos, muito por influência da televisão e da internet, que têm a instantaneidade da informação como aliados. Partindo dessa constatação, este trabalho visa, por meio da análise semiótica de uma fotografia estampada na capa do jornal Zero Hora de 04 de abril de 2005, identificar o papel da fotografia jornalística, partindo da hipótese de que a imagem não é apenas uma ilustração, mas sim um texto completo, com sentido próprio. Isso ficou claro na cobertura da morte do Papa João Paulo II, em que as fotografias complementaram o discurso jornalístico, atribuindo mais credibilidade às informações e, acima de tudo, permitindo aos leitores uma co-presença por meio das imagens e dos textos sincréticos. Mais do que isso, a soma da fotografia com a escolha do texto verbal no jornalismo leva a uma presença na distância, permite uma troca de lugares entre emissor e destinatário, como se eles se fundissem na página do jornal. Assim, o sincretismo (uso de mais de uma linguagem) torna-se, cada vez mais, a razão de ser do jornal impresso.

http://revistas.unisinos.br/index.php/versoereverso/article/view/7271 (sem pdf)

Fotojornalismo: os ataques do PCC nas páginas da Folha e do Estadão

Fernanda Rodrigues Campos, Paulo Cesar Boni

Resumo: Esse artigo aborda a cobertura fotojornalística realizada pela Folha de S.Paulo e pelo O Estado de S. Paulo durante os ataques do Primeiro Comando da Capital (PCC) em maio de 2006. Os métodos utilizados foram o da desconstrução técnica – para análise dos elementos da linguagem fotográfica na construção da mensagem – e análise comparativa – para aferir a geração de sentido nas mensagens. Por esses procedimentos metodológicos, conclui que Folha assumiu um caráter mais sensacionalista, com espetacularização das imagens que o Estadão, que adotou uma postura mais neutra e realista diante dos fatos.

Palavras-chave: Fotojornalismo; Geração de sentido; Folha de S.Paulo; O Estado de S. Paulo.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/1493/1239

Índice ou catálogo: o deslizamento imagético das fotos da revista Veja

Dulcília Helena Schroeder Buitoni

Resumo: Nesta era de cultura visual, somos afetados por uma produção indiscriminada de imagens, que atinge também o jornalismo impresso. Num recorrido de algumas décadas, este trabalho pretende sinalizar como a representação fotográfica da revista Veja buscava uma visualidade mais jornalística nos anos 1960 a 1990, assumindo depois uma indefinição de registros e uma configuração “publicitária” – o que pode provocar leituras pouco transparentes, num contexto de desvalorização informativa e de banalização da imagem. A figuração fotográfica da revista não explora as inúmeras possibilidades vislumbradas pelo conceito da imagem complexa.

Palavras-chave: fotografia jornalística, ilustração, índice, imagem complexa, revista Veja.

http://casperlibero.edu.br/wp-content/uploads/2014/05/%C3%ADndice-ou-cat%C3%A1logo.pdf

Infografia jornalística: substituta progressiva do fotojornalismo?

Ricardo Jorge de Lucena Lucas

Resumo: O presente trabalho pretende avaliar a seguinte possibilidade: a infografia jornalística pode vir a substituir a fotografia jornalística? Se sim, por que? E em que isso pode modificar o jornalismo? Para tal, discutiremos alguns dos aspectos peculiares a cada uma dessas linguagens no âmbito do jornalismo, bem como as suas especificidades discursivo-enunciativas e narrativas.

Palavras-chave: Infografia; Fotografia; Jornalismo Contemporâneo.

https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/article/view/1984-6924.2010v7n1p87/12700

Jornalismo impresso: esboços sobre o poder de domínio da fotografia na construção de sentidos.

Bruno Polidoro

Resumo: O presente artigo apresenta algumas questões sobre a relação entre o texto e a fotografia nas capas dos jornais impressos. Através de conceitos de Roland Barthes e Vilém Flusser, busca-se perceber como se dá a construção dos sentidos conotativos nos jornais, através de diferentes usos possíveis da fotografia, manchetes, legendas e demais elementos textuais. Após a explanação dos conceitos teóricos, aplica-se os estudos na análise de cinco capas de jornais impressos do Rio Grande do Sul.

Palavras-Chave: jornalismo impresso, fotografia, texto jornalístico.

http://www6.univali.br/seer/index.php/vd/issue/viewIssue/253/20 (pag 69 a 78)

La fotografía irónica durante la dictadura militar argentina: un arma contra el poder

Cora Edith Gamarnik

Resumo: La fotografía irónica fue históricamente un terreno de grandes posibilidades para formular críticas sociales con dosis dehumor. En este artículo nos proponemos estudiar cómo, en Argentina,durante la última dictadura militar (1976-1983), este tipo de imágenes se transformaron en una eficaz herramienta de denuncia. Ridiculizaron a quienes detentaban el poder represor y posibilitaron saltear las barreras de lo decible por la censura, ayudando a horadar el consenso, el terror y la indiferencia que el régimen militar había logrado generar.

Palavras-chave: Historia de la Argentina; Fotoperiodismo argentino; Dictadura militar argentina; Fotografía irónica.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/12430/12417

Morte anunciada? Não necessariamente! O fotojornalismo renasce nas agências fotográficas

Simonetta Persichetti

Resumo: O artigo tem como objetivo estudar o “renascimento” do fotojornalismo por meio de agências fotográficas, tomando como estudo de caso a agência européia OOR, com base em Amsterdã, Holanda, com fotógrafos espalhados pelo mundo. A ideia é reverter os clichês da morte do fotojornalismo e da crise da imagem e apresentar soluções quando alguns apocalípticos (parafraseando o semiólogo Umberto Eco) decretam o fim do gênero e partem para soluções que retiram o fundamental do fotojornalismo, que é ser informação e contar uma história.

Palavras-chave: jornalismo, fotojornalismo, reportagem, sociedade contemporânea, notícia, fotografia.

http://casperlibero.edu.br/wp-content/uploads/2014/05/8-Morte-anunciada.pdf

Mundos fotográficos na imprensa e ethicidade acontecimento: uma tentativa de apropriação

Cybeli Almeida Moraes

Resumo: O artigo apresenta uma apropriação, para a fotografia, do conceito de ethicidades televisivas – em especial, o acontecimento – atuante em determinados mundos televisivos conforme a conceituação desenvolvida por Suzana Kilpp (2003). Tal deslocamento pode ser produtivo para o estudo das audiovisualidades, tendo em vista a busca do objeto desde sua irredutibilidade a qualquer mídia, assumindo a possibilidade de encontrar as audiovisualidades em contextos não reconhecidamente audiovisuais.

Palavras-chave: Fotografia; Audiovisual; Acontecimento; Ethicidades.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/5001/4403

Narrativas visuais na página: a fotografia e a diagramação dos sentidos

Hertez Wendel de Camargo

Resumo: Este artigo objetiva analisar a composição da reportagem em revista como processo de criação e, especificamente, a sua intervenção nos sentidos da fotografia. A diagramação da notícia e as narrativas visuais resultantes refletem o conceito editorial da publicação ao mesmo tempo em que potencializam discursos. A fotorreportagem surge no Brasil a partir dos anos 40, marcando o início do fotojornalismo moderno. Pretende-se analisar a fotorreportagem 4 a 1, publicada em março de 1947, na revista O Cruzeiro. A matéria sobre uma simples partida de futebol entre times paulista e carioca revela como a diagramação busca a recomposição do tempo da notícia e de como os sentidos das imagens de Jean Manzon são estendidos além das páginas.

Palavras-chave: Fotorreportagem; Diagramação; Revista O Cruzeiro; JEAN Manzon.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/1925/1658

Novas narrativas fotográficas no ciberjornalismo: o acontecimento no campo do sensível

Ronaldo Cesar Henn, Beatriz Sallet

Resumo: O artigo reflete sobre novas modalidades que o fotojornalismo desenvolve na internet a partir do estabelecimento de outras possibilidades de narrativas fotográficas. Entre elas, destaca-se as que são potencializadas pelos blogs criados por repórteres fotográficos de jornais tradicionais que servem como espaço para a publicação de imagens normalmente desprezadas pelas decisões editoriais convencionais.   Analisa-se esses processos a partir de suas implicações com as teorias do acontecimento,  a construção de narrativas e desdobramentos das semioses. No ambiente digital, as práticas fotojornalísticas em consolidação alteram a cultura do jornalismo e introduzem nas práticas profissionais questões estéticas e performativas distintas. O trabalho tem como suporte empírico a observação do blog Diário da Foto, veiculado pelo jornal Diário Gaúcho de Porto Alegre que abriga fotos não aproveitadas nas coberturas.

Palavras-chave: Fotojornalismo; narrativas fotográficas; blogs; ciberacontecimento; convergência digital.

http://www.pos.eco.ufrj.br/ojs-2.2.2/index.php?journal=revista&page=article&op=view&path%5B%5D=506&path%5B%5D=509

O câncer no palanque: a cobertura fotográfica da Veja sobre a doença da possível candidata à presidência, Dilma Rousseff

Paulo César Boni, Maria Luisa Hoffmann

Resumo: As escolhas técnicas e estéticas dos fotógrafos podem determinar ou direcionar a interpretação de suas imagens. Este artigo pretende analisar o discurso fotográfico da revista Veja na cobertura da doença da possível candidata do Partido dos Trabalhadores (PT) à presidência do País, Dilma Rousseff. Por meio da proposta metodológica da desconstrução analítica, e considerando elementos da linguagem fotográfica, é possível apontar a intencionalidade da revista na reportagem.

Palavras-chave: revista Veja, Dilma Rousseff, desconstrução analítica, fotojornalismo.

http://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_comunicacao_inovacao/article/view/901/750

O cotidiano dos negros no exterior dos jornais de Porto Alegre: pistas de fotojornalismo no século XIX

Beatriz Marocco

Resumo: Existe uma coleção de fotografias que ocupa a contracorrente do discurso jornalístico sobre o cotidiano dos negros que viviam em Porto Alegre (Brasil) no século XIX. Os elementos organizados na cena fotográfica possibilitam que se inicie um jogo de visibilidade/invisibilidade entre essas fotografias e os relatos dos jornais. Neste ponto existe uma zona de descontinuidade no grande arquivo fotográfico da época, voltado em sua quase totalidade às paisagens e retratos da burguesia. Antes mesmo que houvesse condições técnicas para a reprodução fotográfica na imprensa, os Irmãos Ferrari, Virgílio Calegari e Lunara deixaram pistas em suas práticas fotográficas do que viria a ser uma espécie de fotojornalismo em que os fotógrafos se ocupam do reconhecimento do presente que lhes corresponde.

Palavras-chave: Negros; Fotojornalismo; Século XIX; Porto Alegre.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/4970/4304

O discurso fotojornalístico no zero hora: a figura de “Ronaldinho Gaúcho” na Copa do mundo de 2006

Laura Elise de Oliveira Fabrício
Marina Lorenzoni Chiapinotto

Resumo: Este artigo discute a construção e a representação discursiva, no fotojornalismo de desporto, da imagem do atleta “Ronaldinho Gaúcho” na Copa do Mundo de 2006. Esta discussão se deu a partir da imagem estampada na capa do jornal Zero Hora, na edição de 13 de junho de 2006, data de estreia da Seleção Brasileira de futebol na competição, onde aparece o jogador. O estudo tem como objetivo analisar o contexto discursivo do texto imagético midiático na construção da imagem de um ícone do futebol e as condições discursivas desta produção. O estudo reforçou, através da Análise do Discurso, que o fotojornalismo, apoiado pelo texto linguístico, reafirma que o discurso, seja de qual instância for, produz significados construtores de identidade e de representação.

Palavras-Chave: Fotojornalismo, discurso, esporte, Copa do Mundo.

http://www6.univali.br/seer/index.php/vd/issue/viewIssue/253/20 (pag 79 a 90)

O discurso fotográfico da Folha de S.Paulo nas Eleições 2006

Leonardo Catarino Léllis, Paulo César Boni

Resumo: Este artigo analisa a cobertura fotográfica que a Folha de S. Paulo fez das eleições presidenciais de 2006. Fotografias de dois candidatos, Lula e Alckmin, são o objeto de análise. Para identificar a intencionalidade de comunicação do jornal foi adotada a metodologia da desconstrução analítica.

Palavras-chave: Fotojornalismo; Folha de S. Paulo; Eleições 2006; Intencionalidade de comunicação.

https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CSO/article/view/1083/1584

Olhar testemunhal e representação da ação na fotografia

Benjamim Picado

Resumo: propomos, neste texto, uma análise dos aspectos codificados do gesto humano capturado na fotografia: tomando especificamente o caso do embargo visual das ações no fotojornalismo contemporâneo, examinaremos o modo como os princípios da representação pictórica de situações narrativas estrutura o discurso visual da fotografia de ações. Tomando partido das idéias de Gombrich sobre os princípios da representação pictórica das atitudes humanas, identificamos o gesto humano capturado na fotografia como estando cindido entre dois aspectos principais de sua codificação: no plano de sua ritualização (a normalização dos gestos tendo por modelo suas funções retóricas), ou por referência aos aspectos expressionais da representação do gesto humano (ou seja, pela geração de um pathos, modelado no nível da iconicidade da imagem) isto é, pela produção de uma simaptia sensorial da imagem com aspectos da experiência das personagens da cena.

Palavras-chave: representação, fotografia, ação.

http://www.compos.org.br/seer/index.php/e-compos/article/view/41/41

O resgate da ética no fotojornalismo: A banalização das imagens nos meios de comunicação

Erivam Morais de Oliveira

Resumo: A fotografia começou a ser usada pelos jornais diários em 1904 com um atraso de mais de 20 em relação às revistas ilustradas. Quase um século após essa publicação e da genial frase “Embora as fotografias não possam mentir, os mentirosos podem fotografar”, proferida por Lewis Hine, fotógrafo americano que denunciou a exploração do trabalho infantil em seu país, o conteúdo dessa afirmação perpetua no dia a dia do fotojornalismo mundial acompanhado de problemas éticos nas edições, cortes, manipulações e adulterações – inclusive montagens nos meios jornalísticos, mas nunca com tanta frequência como agora, resultados dos avanços tecnológicos, onde essa prática torna-se mais fácil e comum, interferindo na credibilidade e destruindo a
memória do século XXI.

Palavras-chave: Fotojornalismo. Ética. Manipulação. Mercado. Memória.

http://www.fnpj.org.br/rebej/ojs/index.php/rebej/article/viewFile/316/201 (pag59)

O sofredor como exemplo no fotojornalismo: notas sobre os limites de uma identidade.

Angie Biondi

Resumo: O sofrimento é trazido por fotografias de imprensa desde o período moderno. Galerias de sofredores exibem as marcas de seus infortúnios como registro legítimo das guerras, atentados, doenças. Ancoradas em um caráter indicial acentuado, estas imagens também constituem e intensificam um campo complexo de visibilidade no qual atuam disputas e pactos de acessos e lugares. O propósito deste texto é discutir os modos de tornar o sofrimento uma classificação quando associa o sofredor à condição de um pertencimento. Assim, atados a uma identidade, corpo e expressão serviriam apenas à conformação de um ethos, como um modelo exemplar de personagem. Para além da descrição destas estratégias, buscamos refletir a experiência afetiva com este universo de imagens sob a perspectiva de um encontro possível com o singular, o sujeito qualquer, trazido pela imagem.

Palavras-Chave: Exemplo. Sofrimento. Fotojornalismo. Singularidade. Políticas de visibilidade.

http://bjr.sbpjor.org.br/bjr/article/view/287/269

O estatuto ficcional da imagem fotográfica: O caso da foto-ilustração na revista Veja

Ana Carolina Lima Santos

Resumo: O presente trabalho tenta conceber a ilustração fotográfica em seu estatuto ficcional. A partir das contribuições de Boris Kossoy (2002), Jean-Marie Schaeffer (1999) e Nelson Goodman (2002), o artigo delineia a ficção como um recurso legítimo do qual a foto-ilustração se vale para concretizar ideias e conceitos em uma espécie de tradução livre da realidade. Nela, o factual é tomado apenas como ponto de partida para extrapolações analíticas e opinativas – adequando-se, de tal maneira, ao regime de informação próprio ao jornalismo de revista, em especial da revista Veja (eleita como corpus de análise desta pesquisa).

Palavras-chave: Fotografia; foto-ilustração; ficção; jornalismo de revista.

http://www.uff.br/ciberlegenda/ojs/index.php/revista/article/view/42/28

O fotojornalismo como texto híbrido: expansão da informação por meio da montagem de temporalidades alternativas

Laís Santoyo Lopes

Resumo: A prática fotojornalística é responsável por criar monumentos que colaboraram com a experiência do tempo. Logo, em meio à substituição gradual da história linear por uma temporalidade voltada ao presente, questiona-se a capacidade da fotografia de operar novas relações e expandir seu potencial cognitivo. Seria a montagem do texto híbrido capaz de gerar uma dissincronia contestando a construção monumentalizada da história? Procura-se também identificar quais elementos persistem direcionando a leitura para sentidos hegemônicos. Se analisa reportagens de caráter “comemorativo” com imagens de Sebastião Salgado no jornal Folha de São Paulo.

Palavras-Chave: Fotojornalismo. Híbrido. Temporalidade. História. Semiótica da Cultura.

http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/comtempo/article/viewFile/8367/7964

Os tanques de guerra sobem o morro: a cobertura fotográfica da invasão militar na Vila Cruzeiro e Complexo do Alemão pela Folha de S. Paulo em 2010

Lucas de Toledo Martins

Resumo: Este trabalho intenciona analisar criticamente a cobertura fotográfica realizada pela Folha de S. Paulo entre os dias 25 de novembro e 2 de dezembro de 2010, referente ao cerco e invasão militar da Vila Cruzeiro e do Complexo de favelas do Alemão. Através da análise das fotografias veiculadas nas capas, percebemos que o jornal simplifica e generaliza a questão da segurança pública no Rio de Janeiro, restringindo uma conjuntura social complexa a “caso de polícia”. As estratégias discursivas das imagens se pautam, sobretudo, no efeito emocional do choque. A maneira como o jornal apresenta os fatos imageticamente, a “contar uma história com começo, meio e fim” reafirma o jornalismo como um campo ideológico, neste caso, consonante aos interesses do poder estatal e das elites.

Palavras-chave: Folha de S. Paulo. Fotografia. UPP. Rio de Janeiro.

http://www.insite.pro.br/2014/Maio/tanques_cobertura_folha.pdf

O terremoto no Japão pela Folha.com: banalização e consumo de fotografias na internet

Carolina Zoccolaro Costa Mancuzo, Paulo César Boni

Resumo: Este trabalho deriva de pesquisas sobre a imagem fotojornalística na internet. Para este estudo, o recorte espaço-temporal foi a cobertura fotojornalística que a Folha.com fez do terremoto – seguido de tsunâmi – ocorrido no Japão, em março de 2011. O artigo apresenta reflexões a partir da análise do primeiro dia de cobertura do fato e do panorama geral, após o fim do acompanhamento jornalístico da tragédia. Tendo o Estudo de Caso e a Análise de Conteúdo como bases metodológicas, a pesquisa apurou que o jornalismo online não trabalha a fotografia como suporte reflexivo para a inteligibilidade dos fatos. Neste sentido, a fotografia  jornalística passa a ser utilizada essencialmente como factual, ou em estado efêmero permanente, para uma sociedade que busca imagens para decodificar fatos, banalizando a imagem fotográfica, que se transforma em mero objeto de consumo.

Palavras-chave: Jornalismo online; Folha.com; Fotojornalismo; Banalização de imagens.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/12659/11293

O uso de crianças em imagens sensacionalistas

Renato Forin Junior, Paulo Cesar Boni

Resumo: Este trabalho aborda a produção e uso de imagens  sensacionalistas de violência pela mídia, principalmente as que incluem crianças, e observa as variáveis que propiciam seu amplo consumo pelo público. Faz um estudo de caso da reportagem fotográfica sobre o ataque terrorista acontecido em Beslan, na Rússia, publicada pela Veja. Verifica historicamente como as imagens violentas de crianças podem impactar a sociedade e busca referenciais teóricos e condicionantes psicológicos e mercadológicos que impulsionam a obsessão pelo horror.

Palavras-chave: Sensacionalismo; espetacularização; imagem; criança.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/1466/1212

O vale da sombra da vida: reflexões sobre a fotografia de guerra e suas repercussões

Marcello Silva Maciel, Paulo Cesar Boni

Resumo: Reflexões sobre a fotografia de guerra e suas repercussões na sociedade e na capacidade de socialização de quem a produz são as propostas norteadoras deste trabalho. Num primeiro momento, o fotógrafo de guerra é um profissional como outro qualquer, mas a constante exposição ao perigo e a eminência da morte afetam sua convivência em sociedade. O artigo resgata criticamente a trajetória do fotojornalismo de guerra e busca instigar a reflexão nos – e sobre os – três agentes do processo de comunicação: o produtor, o transmissor e o receptor.

Palavras-chave: Fotojornalismo; Fotografia de guerra; Repercussões do fotojornalismo de guerra; Capacidade de socialização do fotógrafo de guerra.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/1480/1226

O véu, a bruma, a tela e a face – o negativo do documental na fotografia de imprensa

Kati Eliana Caetano, Sandra Fischer

RESUMO: Embora destinada, a princípio, a homologar visualmente as informações e valores expressos no texto verbal, a fotografia de imprensa pode ganhar ares de suficiência capazes de suscitar leituras mais amplas do que aquelas a que se reporta. A escolha de uma imagem, tanto pela temática manifesta quanto pelo agenciamento de dispositivos discursivos e plásticos, condiciona percursos interpretativos que parecem validar certezas ou suscitam novas reflexões, instituindo regimes de interação distintos com o leitor. Para tanto, a imagem se reveste de marcas que a aproximam ou distanciam de sua pressuposta “essência” fotográfica.

Palavras-chave: Fotografia de imprensa, comunicação visual, imagem.

http://www.revistas.usp.br/significacao/article/view/65624/68239

O fotojornalismo como texto híbrido: expansão da informação por meio da montagem de temporalidades alternativas

Laís Santoyo Lopes

Resumo: A prática fotojornalística é responsável por criar monumentos que colaboraram com a experiência do tempo. Logo, em meio à substituição gradual da história linear por uma temporalidade voltada ao presente, questiona-se a capacidade da fotografia de operar novas relações e expandir seu potencial cognitivo. Seria a montagem do texto híbrido capaz de gerar uma dissincronia contestando a construção monumentalizada da história? Procura-se também identificar quais elementos persistem direcionando a leitura para sentidos hegemônicos. Se analisa reportagens de caráter “comemorativo” com imagens de Sebastião Salgado no jornal Folha de São Paulo.

Palavras-Chave: Fotojornalismo. Híbrido. Temporalidade. História. Semiótica da Cultura.

http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/comtempo/article/viewFile/8367/7964

Paisagens e Crônicas Visuais da Destruição: índices e temporalidades do discurso visual no fotojornalismo

Benjamim Picado

Resumo: Este artigo se propõe a examinar a tópica da paisagem, como elemento condutor da representação da catástrofe no fotojornalismo: recupera-se a noção de indexicalidade, na chave em que ela é pensada relativamente ao conceito da “aura”, na reflexão de Walter Benjamin sobre a história da fotografia; correlaciona-se o tema pictórico da paisagem, em seu aspecto de estabilidade e mudança, ao problema da sublimidade nos escritos de Edmund Burke. Na conclusão, se examinam pistas sobre as relações entre catástrofe e historicidade, a partir da representação de uma natureza revolta.

Palavras-chave: Paisagem; catástrofe; sublimidade; fotojornalismo.

http://www.pos.eco.ufrj.br/ojs-2.2.2/index.php?journal=revista&page=article&op=view&path%5B%5D=467&path%5B%5D=461

Photography and modernization of the press in brazilian capital: the first fifty years of the 20th century

Silvana Louzada

ABSTRACT: The process which created the conditions for the development of mass media press in Brazil was consolidated in the first half of the 20th Century with the emergence of newspaper companies based on an industrial form of production, the modernization of the writing style and design, plus the use of photography as a newsy
element. There was a strong investment in technology in order to modernize the nation and photography, as a technical image par excellence, started to portray the acceleration of the passage of time that was accentuated by the 1890’s. In the beginning of the 20th century a new technological trend occurred mediated by the photographic apparatus and diffused through the newspaper and illustrated magazines pages that were multiplying in the nation’s capital, Rio de Janeiro. The press used photography and a series of technological artifacts to acquire the status of a modern entity and multiply the number of readers, changing its forms of production and its auto-referential discourse, starting to be more and more the icon of modernity. The technologies capable of giving a wider dimension to the concept of time and space were decisive in shaping the new symbolic world which emerged since the turn of the century. The world got closer and more visible, the perception of the “other” changed gradually and temporality took on a new dimension. This article traces a panorama of the use of photography by the main newspapers published in the capital of Brazil in the first half of the 20th century, seeking in photography the reflection of the modernizing process that Brazilian society
desired and underwent.

Palavras-chave: photojournalism; Brazilian press; press modernization; modernity.

http://bjr.sbpjor.org.br/bjr/article/view/217/215

Realidade e representação: o discurso visual no fotojornalismo

Ana Carolina Lima Santos

Resumo: Neste artigo, faz-se um mapeamento geral da discussão sobre o discurso visual do fotojornalismo. De um lado, avalia-se o abandono de uma teorização centrada na fotografia como produto de um dispositivo e da imagem fotográfica como uma simples implicação existencial de uma realidade exterior; do outro, as consequências no âmbito do estudo do jornalismo fotográfico. Busca-se, com isso, um entendimento de que, como o texto verbal, a fotografia jornalística funciona como uma forma expressiva por meio da qual é possível produzir sentido sobre o mundo.

Palavras-Chave: Fotografia. Fotojornalismo. Discurso visual.

http://www.fumec.br/revistas/mediacao/article/view/298/295

Retratos da saúde pública: o caos como intencionalidade nas fotografias do jornal Folha de Londrina

Reinaldo César Zanardi, Paulo César Boni

Resumo: A mensagem de uma fotografia não passa despercebida, podendo gerar significados diversos. O objetivo deste trabalho é analisar 8 fotografias que retratam a crise na saúde pública de Londrina, estado do Paraná, em reportagens do jornal Folha de Londrina, entre fevereiro e março de 2011. A saúde no município, desde o início do atual governo municipal, passou por várias crises que afetaram diretamente os serviços assistenciais à população, de falta de médicos a superlotação dos hospitais, passando pela interrupção do atendimento dos prontos-socorros. Em menos de 24 meses, a Secretaria Municipal de Saúde teve cinco titulares. Esse estudo adota como metodologia a desconstrução analítica para aferição da intencionalidade da comunicação, proposta por Boni (2000). Como resultado, pode-se afirmar que os fotógrafos tomaram as imagens que retratam o tema dando-lhe significados como crise, falência e caos na saúde pública de Londrina.

Palavras-chave: Fotojornalismo; saúde pública de Londrina/PR; geração de sentido.

https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/article/view/1984-6924.2012v9n2p506/23362

Sentido Visual e Vetores de Imersão: regimes plásticos da implicação do espectador nas formas visuais do fotojornalismo

Benjamim Picado

Resumo: Propomos examinar aspectos da discursividade visual do fotojornalismo e sua relação com o papel ativo da instância espectatorial. Considerado o quadro patêmico e sensorial da significação visual destas imagens, o artigo constata a consolidação de um modelo da rendição fotográfica baseado no princípio da atualidade, plasticamente manifesto na espacialização do instante, como elemento central dos processos de implicação do espectador. Nesta dimensão estética do testemunho visual, invoca-se também o ethos das imagens de sofrimento – e o princípio da reciprocidade que elas mantêm com o olhar do leitor, assim como a desdramatização do instante no fotojornalismo contemporâneo.

Palavras-chave: fotojornalismo; espectador; imersão.

http://revistas.pucsp.br/index.php/galaxia/article/view/6994/6057

Tempo revelado: fotojornalismo e construção de sentidos

Gutemberg Medeiros

Resumo: Este trabalho levanta aspectos de como o fotojornalismo já tinha o mesmo patamar de importância comunicacional que a reportagem desde o início do século XX. O fotojornalismo surge como um dos elementos fundantes da Modernidade, que é para ser vista ou lida como discurso não verbal. Trazemos elementos para verificar como estes textos não verbais trazem importante contribuição na construção de sentidos de um tempo e lugar a partir de objetos midiáticos do jornalismo impresso, na arquitetura de uma memória.

Palavras-chave: Jornalismo moderno; Modernidade; João do Rio; Fotojornalismo e memória.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/13045/12424

The Women of Islam: The role of journalistic photography in the (re)production of character-type

Kati E. Caetano

Abstract: With the idea, as a starting point, that some images incite one to acts of contemplation, mediated by ambivalent meanings and sensations, this study proposes an interpretation of the photographs of Islamic women in the Brazilian press. Their condition as a fi
gure present in the media is a concern, above all recurring in the contemporariness,
in the places usually occupied by political content involving the conflicts between the East and West, and therefore on the whole and in the economy of the illustrative visual information of the first page news or the World section. Thus, the Muslim woman’s image in several articles metaphorically appears as a source of evocation of a culture characterized by restrictions of behavior and values that seem strange to us, apparently personified in the solitary and anonymous figure or in the ordered crowd of women covered by the black veil of furtive glances.

Palavras-chave: Picture; journalism; female representation; visual communication; documental image.

http://bjr.sbpjor.org.br/bjr/article/view/71/72

Uma abordagem sobre o campo da comunicação e a fotografia como um de seus objetos.

Frederico de Mello Brandão Tavares

Resumo: A proposta deste trabalho é pensar a comunicação, suas características e sua inserção no campo das ciências, buscando, por fim, um enfoque comunicacional para o estudo da fotografia e do fotojornalismo. A primeira parte do trabalho apresenta um panorama das modificações paradigmáticas que vêm ocorrendo no interior das ciências e a inserção da comunicação neste contexto. Baseada nesse primeiro momento, a segunda parte do artigo busca delimitar as especificidades do campo da comunicação e toma a fotografia e o fotojornalismo como exemplos para se pensar um objeto de estudo dentro desta área.

Palavras-chave: comunicação, linguagem, fotografia.

http://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_comunicacao_inovacao/article/view/634/482

Ultima Hora: em cena a modernidade fotográfica

Silvana Louzada

Resumo: Este artigo visa investigar a construção da linguagem fotojornalística no jornal Ultima Hora como um processo de preparação do público, em grande parte recém-urbanizado, para a leitura de texto e imagem. A utilização das sequências fotográficas e posteriormente do instantâneo é analisada à luz do pensamento de Paul Ricoeur que entende a narrativa como mediadora entre a experiência e o discurso. A fotografia é aqui entendida como um discurso que é edificado paulatinamente nas páginas do jornal, preparando o público para sua compreensão plena na percepção do tempo aprisionado no instantâneo fotográfico.

Palavras-chave: Jornal Ultima Hora; Fotojornalismo; Fotografia.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/2941/2491

Um conflito em imagens: representações fotográficas da Revolta dos Posseiros de 1957

Éverly Pegoraro

Resumo: Este artigo analisa algumas fotografias produzidas pelo fotógrafo Osvaldo Jansen, de O Estado do Paraná, sobre a Revolta dos Posseiros de 1957, no sudoeste do Paraná. Pode-se perceber, em suas imagens, a preocupação de cunho humanista e testemunhal. Questiona-se como o olhar urbano de um fotógrafo da capital paranaense, inserido em um conflito agrário no interior do estado, influencia nas possibilidades de leitura dessas imagens. Partindo do pressuposto de que as fotografias de imprensa servem ao intuito de representação documental dos fatos e, ao mesmo tempo, de construção simbólica de informação, questiona – e procura desvendar – o que as fotografias do levante revelam e o que escondem.

Palavras-chave: Fotojornalismo; História; Revolta dos Posseiros de 1957; Sudoeste do Paraná.

http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/1927/1660

Visibilidade de temas sociais e fotografias nas capas de jornais regionais durante as eleições de 2006

Emerson Urizzi Cervi, Natália Cancian, Sandra Avi dos Santos

Resumo: Este trabalho faz uma discussão sobre critérios de noticiabilidade para ocupação das primeiras páginas dos jornais diários de abrangência local e regional do Paraná, considerando possíveis efeitos da presença ou não de imagens fotográficas vinculadas aos temas sociais que ganham espaço na página mais importante de um jornal diário. Como o trabalho de campo de coleta de informações compreende o período de cobertura das campanhas eleitorais de 2006, testa-se também o tratamento dado a esse tema na primeira página dos jornais locais e regionais analisados. Com isso, busca-se identificar se a fotografia tem um impacto relevante na presença de temas sociais nas primeiras páginas dos periódicos, se o tema campanha eleitoral ganha destaque nesses jornais e, de maneira complementar, se os periódicos locais apresentam os mesmos padrões de seleção de temas públicos do que os regionais para a composição de suas capas.

Palavras-chave: noticiabilidade, primeira página, fotojornalismo, imprensa diária.

http://revistas.unisinos.br/index.php/fronteiras/article/view/5042

Por um fotojornalismo que respeite a dignidade humana: a dimensão ética como questão fundamental na contemporaneidade

Janaina Dias Barcelos

Resumo: Este trabalho propõe discutir sobre os limites éticos do uso pela imprensa de fotos que retratam dor e sofrimento humanos. O objetivo é refletir sobre o papel do fotojornalismo e o respeito à dignidade humana. Buscamos comparar cinco documentos, verificando similaridades e diferenças, e exemplificamos algumas discussões com fotografias selecionadas a partir de seu alcance e sua noticiabilidade. Buscamos aporte teórico em autores que abordam a dimensão ética do jornalismo, bem como naqueles que estudam o fotojornalismo. Em nossa análise, percebemos que existem orientações para os profissionais, voltadas ao respeito à dignidade humana, mas que ainda há um longo caminho a ser percorrido para que a mídia impressa cumpra esse papel social.

Palavras-chave: Fotojornalismo; Ética; Deontologia; Imagem
http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos/article/view/14220/14591

Fotografia jornalística e mídia impressa: formas de apreensão

Frederico de Mello Brandão Tavares
Paulo Bernardo Ferreira Vaz

Resumo: Este texto busca atentar para a importância do fotojornalismo enquanto forma de representação visual na mídia impressa na atualidade. Mais especificamente, procura-se pensar o papel da relação fotografia-jornalismo nos processos de construção de sentido existentes nos veículos impressos jornalísticos de grande circulação. Neste percurso são explorados alguns aspectos e características da linguagem fotojornalística, bem como sua inserção no contexto midiático e social.

Palavras-chave: Fotojornalismo; Mídia Impressa; Jornal Diário.

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/3329/2587

Fotografias e legendas do jornal BRASILdeFATO: discurso e ideologia

Lucília M. S. Romã & Jonathan R. B. da Silva

Resumo: O presente trabalho visa rastrear a ideologia instalada em fotografias e legendas sobre a questão agrária publicadas no jornal BRASILdeFATO. Utiliza-se o referencial teórico da Análise do Discurso de matriz francesa, cujos pressupostos atentam para uma leitura menos ingênua do discurso textualizado na mídia, a qual toma o discurso não verbal como “imparcial”, como prova incontestável de uma realidade objetiva que independe da formação social e ideológica do sujeito fotojornalista.

Palavras-chave: análise do discurso, ideologia, fotojornalismo.

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/4102/3102

Ação, instante e aspectualidade da representação visual: narrativa e discurso visual no fotojornalismo

Benjamim Picado

Resumo: Este texto pretende averiguar, no contexto de um exame concreto de materiais do fotojornalismo, as relações entre o método estrutural de análise da narrativa e certas abordagens estéticas da interpretação das representações visuais: concentramo-nos no problema da significação do instante, como ponto cardinal da resolução do modo como as imagens fotográficas reportam-se às ações; o problema da instantaneidade na fotografia exprime, ao mesmo tempo, um aspecto visual de arresto da integridade temporal das ações e também uma função própria ao discurso narrativo. Interessa-nos avaliar as correlações entre os regimes da representação e as estruturas da percepção como problema atinente ao modo como Umberto Eco propôs as relações entre iconografia e códigos perceptivos; a noção de aspectualidade, oriunda de teorias estéticas contemporâneas, nos parece central para explorar estas relações entre a imagem e a percepção.

Palavras-chave: fotojornalismo, narrativa, ação.

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/5839/4233

Comments are closed